A Defensoria Pública do Espírito Santo (DPES) retornou, na última sexta-feira (13), com o Projeto Inclusão Social, que visa a capacitação em informática para pessoas custodiadas, além de proporcionar conhecimento, visando à inserção na sociedade.

As aulas da segunda edição, que acontecem na Penitenciária Estadual de Vila Velha (PEVV5), vão até 28 de junho e contam com 14 alunos no curso de informática básica e 6 alunos no curso de programação web.

O projeto “Inclusão Social” teve início no dia 19 de setembro de 2017, através do Núcleo de Execuções Penais (Nepe), DPES e em parceria com a Faesa Centro Universitário. O Projeto certificou a 1ª turma de detentos com o curso de informática básica, em que ofereceu a capacitação técnica a 13 apenados da PEVV5, quando participantes aprenderam o básico dos programas Word, Excel, PowerPoint e Internet.

A certificação proporcionou aos apenados a remição de pena, entretanto, o principal objetivo deste Projeto é a redução do analfabetismo funcional e digital, sempre visando o retorno dessas pessoas para a sociedade. Agora, quem tem o certificado pode fazer o curso de programação web.

Ao todo, cada fase do curso é composta por 24 aulas e uma carga horária de 36 horas. Como a legislação vigente permite a remição de um dia de pena a cada 12 horas de estudo, ao fim do curso os participantes terão reduzido três dias. As aulas são realizadas por professores e monitores voluntários da Faesa.

De acordo com a coordenadora do Nepe, a Defensora Pública Roberta Ferraz, o curso permite a esses apenados a inclusão digital, a preparação para o mercado de trabalho, além da capacitação técnica e remição de pena.

 

Por Raquel de Pinho