Através do Projeto Além das Grades, a Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo (DPES), em uma parceria com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), oferece aos internos do regime semiaberto diversos serviços e oportunidades de emprego. O Projeto tem como objetivo demonstrar que a atuação da Defensoria Pública vai muito além do processo e que é possível capacitar e preparar detentos para retornarem à sociedade.

Rafael da Silva Barreto, 24, que conseguiu a liberdade na última quinta-feira (27), trabalhou na Defensoria Pública por quatro meses triturando papeis descartados pela instituição. “Trabalhar na Defensoria foi uma honra, uma oportunidade incrível que eu vou levar como experiência para o resto da vida. Saio daqui com a esperança de sucesso”, relata o rapaz.

A atuação de Rafael foi uma parceria com outro projeto, o Moderniza, focado na inovação e na melhoria da gestão e serviços da DPES como a redução do uso de papel e substituição por novas tecnologias e opções sustentáveis.

Essa interlocução acontece também em Guarapari, onde a mão de obra de internos do semiaberto é usada para a revitalização e a restauração do núcleo do munícipio.

Atualmente, 10 internos trabalham nos núcleos da Defensoria Pública da Grande Vitória como auxiliares de serviços gerais. É o caso de Caio Fernandes, 21, que trabalha na sede administrativa da DPES desde dezembro de 2017 e poderá deixar o sistema prisional em setembro deste ano. “Vou levar uma experiência extraordinária após conviver com pessoas que aprenderam a trabalhar na marra. Sairei daqui com a esperança de uma oportunidade futura longe das grades”, prevê Caio.

Segundo a coordenadora de Execução Penal, Roberta Ferraz, o Projeto visa fomentar aptidões dentro do sistema prisional oferecendo aos reclusos uma experiência de trabalho antes retornarem ao mercado e a vida profissional.

O Projeto começou em 2017 com a contração de Vinicius Torneri Abreu, 28, que já tinha conhecimento em grafite, para criar e pintar uma arte no núcleo de Cachoeiro de Itapemirim. Com os bons resultados de Vinicius, que já está em liberdade e continua atuando na DPES, o projeto continuou.

Roberta Ferraz tem planos de expandir o Além das Grandes para os núcleos do interior do Espírito Santo e buscar novas aptidões para serem aplicadas nas Defensorias do estado.

Ainda este ano, a Defensora Pública pretende buscar internos com conhecimentos de informática e oferecer um curso de capacitação técnica para que estejam aptos a atuar dentro da Defensoria. A iniciativa contempla outro projeto da instituição, o Inclusão Social, que oferece cursos de informática básica dentro do sistema prisional.

“A nossa ideia é capacitar esses internos e colocar pelo menos um deles para auxiliar na demanda de informática dentro dos núcleos”, explica Dra. Roberta.

Assessoria de Comunicação DPES