Os membros do Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais (Condege) visitaram, no último dia 28, o abrigo de imigrantes Rondon III e o Ponto de Cadastramento da Operação Acolhida. Os defensores gerais foram recebidos pela equipe do Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) e do Exército Brasileiro, responsável pelo programa Operação Acolhida.

O colegiado conheceu as instalações do posto de triagem, emissão de documentos, emissão de carteira de saúde, atendimento da Polícia Federal, e as dependências do abrigo.  A Força Tarefa Logística Humanitária e a ACNUR abriram o Rondon III para prestar apoio aos imigrantes venezuelanos em Roraima.

48147580171_910c4d307e_oO abrigo tem capacidade para mil pessoas, sendo que cada casa comporta até cinco pessoas e as barracas nove. Os alojamentos são para famílias, casais, crianças e mulheres. Segundo o defensor público-geral do Espírito Santo, Gilmar Alves Batista, a acolhida aos imigrantes é um importante trabalho humanitário e é preciso garantir o mínimo de dignidade para eles.

“Conhecer de perto a realidade dos imigrantes venezuelanos é muito importante para podermos traçar uma estratégia que seja efetiva para a garantir dos direitos dessas famílias, tendo em vista a situação de vulnerabilidade em que se encontram”, afirma Batista.

O presidente do Condege, José Fabrício Silva de Lima, destaca a importância de conhecer a estrutura do abrigo para ter elementos para a elaboração da Carta Aberta para as Defensorias. O documento terá a finalidade de auxiliar tanto o governo do Estado de Roraima, como os integrantes das demais instituições que atuam junto aos migrantes.

Com informações da Ascom / DPERR