A Defensoria Pública do Espírito Santo (DPE-ES) está presente no I Workshop do programa “Solução Avançada em Atendimento de Referência”, o Solar. O encontro acontece nesta quinta (29) e sexta-feira (30), na sala de Reuniões do Conselho Superior da Defensoria Pública do Tocantins (DPE-TO), em Palmas, e conta com a participação de técnicos de pelo menos 13 Estados que já utilizam o programa nas demais Defensorias Públicas.

Estão presentes no evento o defensor público chefe de gabinete do Defensor Público-Geral, Valdir Vieira Júnior e o diretor de Tecnologia da Informação, Rodrigo Moreira.

A programação do workshop conta com dois momentos: a apresentação de cases de sucesso, com informações sobre os benefícios do desenvolvimento colaborativo, e a proposta de um novo modelo, momento em que serão debatidas as questões que tratam da padronização das demandas, prazos e definição de fluxos.

“O desenvolvimento colaborativo de software permitirá que as instituições, no geral, carentes de recursos humanos especializados, se beneficiem de um movimento de sinergia para enfrentar a missão da entrega dos sistemas computacionais. A soma dos conhecimentos individuais certamente se reverterá em melhoria na qualidade da prestação de serviço aos cidadãos”, afirma Rodrigo Moreira, diretor de Tecnologia da Informação da Defensoria Pública Estadual.

O encontro tem como objetivo a promoção da utilização do Solar, ferramenta que foi desenvolvida pela Diretoria de Tecnologia da Informação da DPE-TO e cedido, de forma gratuita, para dezenas de Defensorias Públicas no País, incluindo a DPE-ES.

Solar

O software foi implantado pela Defensoria Pública do Espírito Santo em abril de 2017, após uma série de pesquisas e da visita de uma equipe à Defensoria Pública de Tocantins (DPE-TO). Para utilizar o programa, defensores, funcionários e estagiários receberam treinamento e orientação sobre o funcionamento da ferramenta por profissionais de tecnologia da DPE-TO.

O programa permite, além da maior celeridade para organização e compartilhamento do andamento de processos dentro da Instituição, uma maior qualidade ao serviço do defensor público, que pode auxiliar o assistido de maneira eficiente e mais próxima, sem perdas de informações, que podem ser acessadas por todos os 14 núcleos de atendimento que já contam com a ferramenta no Estado.