Os problemas de abastecimento de água no Território do Bem estão sendo acompanhados de perto pela Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo (DPES), por meio do Núcleo de Defesa Agrária e Moradia (Nudam). Em abril deste ano, a Instituição oficiou a Cesan, a Prefeitura de Vitória e a Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Habitação sobre a existência a implantação de um sistema de fornecimento para os bairros da região.

As instituições informaram, por meio de ofício, que há um projeto em andamento, mas não há definição de prazo. A Defensoria Pública cobra que Município de Vitória estabeleça um cronograma de obras. São mais de 20 famílias afetadas pela falta constante de água, em nove bairros da capital.

A Defensoria tem realizado reuniões com a comunidade e poder público para acompanhar o processo. Por parte da Cesan, por exemplo, a Instituição conseguiu que a empresa instalasse uma rede de abastecimento de água, realizasse o cadastro social e a religação das casas ao novo sistema hídrico.

Nas reuniões, também está sendo cobrado do Município de Vitória a priorização e a celeridade na execução das obras de Saneamento Integrado no Território do Bem. As obras estão previstas desde 2002 e ainda não foram concluídas. Segundo a Defensoria Pública, o Município tem condições para realizar a obra.